Lula e o casal militar gay

A república tupiniquim está sendo mobilizada para solucionar o caso da prisão do sargento gay Laci de Araújo que declarou a homossexualidade em entrevista à revista ÉPOCA. Depois de mobilizar o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que já foi o guardião da Constituição brasileira no Supremo Tribunal Federal (STF), e o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), o sargento Fernando de Alcântara, companheiro de Laci há mais de dez anos, deve chegar ao Palácio do Planalto.

O militar quer o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que por sua vez exerce o poder máximo sobre as Forças Armadas do país, para livrar o parceiro da cana. Aliás, Lula aparece nos jornais e telejornais empunhando uma bandeira arco-íris. O presidente brasileiro participou ontem (5 de maio) da abertura da 1ª Conferência Nacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (GLBT) em Brasília. Até o momento não há qualquer informação sobre o encontro.

Por sua vez, uma outra notícia dá conta da mobilização do Exército de um processo administrativo contra o sargento Fernando. Ele deve ser punido por faltar ao trabalho. Empenhado em libertar o companheiro, o militar não estaria comparecendo ao posto onde está lotado. Já o sargento Laci continua no Hospital Geral de Brasília (HGB). Ele foi transferido, ontem, de São Paulo, para a capital federal.

O caso do casal gay ganhou proporções internacionais após o cerco da Polícia do Exército (PE) ao prédio da RedeTV!, na Grande São Paulo. Laci e Fernando concluíam uma entrevista regada a muitos detalhes sobre a homossexualidade quando a apresentadora Luciana Gimenez foi informada do aparato militar no local. Laci tentou resistir à prisão. Disse que se mataria. Mas saiu do prédio escoltado pelos militares e seu companheiro de farda e de cama.

O Exército divulgou nota oficial na qual considera Laci um desertor das tropas. O assunto tem mobilizado milhares de cidadãos contrários e a favor dos sargentos gays. Uns afirmam que o Exército cumpriu com o regulamento militar. Outros acham que houve excesso. Vale esperar pelos próximos capítulos desta novela que parece mais emocionante que o embate entre Flora (Patrícia Pilar) e Donatela (Cláudia Raia) em A Favorita, na Rede Globo.

Leia também no Diário de Bordo:

Exército baixa o pau no SuperPop

O Exército é SuperPop

Os sargentos gays do SuperPop

 

Anúncios

Tags: , , , , , , , ,

6 Respostas to “Lula e o casal militar gay”

  1. Exército baixou o pau no SuperPop « Diário de Bordo Says:

    […]  Lula e o casal militar gay […]

  2. Os sargentos gays do SuperPop « Diário de Bordo Says:

    […] Lula e o casal militar gay […]

  3. evandro Says:

    w

  4. O Exército é SuperPop « Diário de Bordo Says:

    […] Lula e o casal militar gay […]

  5. pauli Says:

    parabens aos sargentos gays, vamos mudar o brasil de qualquer jeito. a classe gay esta unida.

  6. Edduardo Siqueira Says:

    Eu acho um descomedimento a atitude ridícula do Exército! A Constituição Federal dá a TODOS o direito de optar pela orientação sexual que melhor lhe pareça. Se eles são gays, o problema é deles, o importante é que essa opção sexual não interfira na integridade da sociedade, como é o caso da pedofilia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: