A loteria dos concursos

Por um salário de R$ 1.716,66, cerca 767 mil pessoas se candidataram ao cadastro reserva da Caixa Econômica Federal (CEF) para o cargo de técnico bancário. A expectativa é que pelo menos 6,3 mil sejam aproveitados, sendo 1,5 mil ainda em 2008. Isso equivale a pouco mais de 121 candidatos por vaga. Em jogo, além do salário, participação no lucro da Caixa, além de outros benefícios como plano de saúde, previdência complementar, auxílio alimentação e cesta-alimentação.

Para o banco das loterias, participar de um concurso público deste porte requer muito mais sorte que os apostadores da banca federal. E o preço da aposta: R$ 23,00. Se não houve erro na conta – que me corrijam os matemáticos de plantão – trata-se de uma bolada de R$ 17,6 milhões só na inscrição. Isso equivale a um dos maiores prêmios da Mega-Sena. Não é de soltar aos olhos de qualquer cidadão?

A grana – dividida pelo número de contratados – daria para pagar R$ 2,8 mil a cada um. Muito mais que o salário inicial fixado no edital. Isso serve para ilustrar o montante de dinheiro que movimenta a ‘indústria dos concursos públicos’. Se você incluir apostila (R$ 40,00) e mais os cursinhos preparatórios, estamos falando numa cifra estupenda. Então, vale a pena ser uma fundação que aplica as provas ou donos dos tais cursinhos?

Claro que muitos defensores desse sistema vão argumentar que existem custos. Ou seja, o rendimento obtido com as inscrições não é líquido. Mas se levarmos em consideração que existem milhares de concursos e que esse mercado é limitado a algumas poucas fundações, ao final das contas, chegaremos a uma montanha de dinheiro. E esse jogo lotérico vale para o candidato a estabilidade. Quem não gostaria de um emprego estável?

Então, concurseiros, continuem a alimentar a máquina dessa disputa ferrenha. Existem outras provas colocadas no mercado. Têm opções para todos os gostos. No caso da Caixa, a primeira bateria de testes começa no dia 29 de junho, em 66 municípios, com avaliação de língua portuguesa, matemática, noções de ética, atendimento, conhecimentos bancário e informática.

O resultado será conhecido no dia 23 de julho. Quem passar nessa etapa fará os exames admissionais. Porém, deve estar ciente que para alcançar tão almejado cargo terá que conseguir se classificar entre os 1,5 mil candidatos com as melhores notas. Caso contrário, tente outra vez. Pode não ter sido seu dia de sorte.

Leia também no Diário de Bordo:

O concurso da Caixa e as festas juninas 

 Os gabaritos da Caixa

Anúncios

Tags: , , , , , , ,

4 Respostas to “A loteria dos concursos”

  1. Rafael Says:

    Parece ser bom

    cínico e mentiroso

  2. A indústria dos cursinhos « Diário de Bordo Says:

    […] informação comprova aquilo que já havia sido colocado neste Diário de Bordo sobre a loteria dos concursos. Num país com elevado índice de desemprego, nada mais natural que os […]

  3. Daniel Says:

    Não entendi!!!??? no começo do comentário é falado que 6,3 mil pessoas pedem ser aproveitadas, porem no fim falou que apenas os 1,5 mil candidatos serão classificados!!!!????

  4. O concurso da Caixa e as festas juninas « Diário de Bordo Says:

    […] atrás postei aqui neste Diário de Bordo uma avaliação livre sobre as loterias dos concursos públicos no Brasil. A […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: