Brasil com todo gás em 2011

Um e-mail que circula entre gabinetes no eixo Rio de Janeiro e Brasília contém a informação de que o Brasil terá à disposição gás natural ilimitado até o ano de 2011. Ou seja, os especialistas nesta área, em especial o pessoal da Petrobras, acreditam que o país estará independente do gás natural que atualmente pesa na balança comercial.

Outro detalhe: o gás produzido nos campos petrolíferos do país, em boa parte, é queimado ou desperdiçado, e torna nossa dependência em projetos com o da Bolívia, que mais tarde foi abortado por Evo Morales naquela intervenção tupiniquim aos empreendimentos da estatal brasileira em território boliviano.

O referido documento eletrônico ainda não chegou às redações dos principais jornais – O Globo, O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo – ou ainda não fora mencionado pela diretoria da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Se isso tivesse acontecido, com certeza, provocaria rebuliço no mercado de ações no Brasil e no exterior.

Os papéis da Petrobras subiriam vertiginosamente assim como aconteceu quando se informou sobre os campos gigantes na Bacia de Santos. Aliás, o mercado acionário é bastante sensível. Qualquer notícia provoca um verdadeiro alvoroço.

E, agora, a questão do gás natural cai como uma bomba no colo dos investidores ou dos apostadores de plantão. Isso porque o Brasil menos dependente das exportações poderá dar uma guinada na matriz energética.

A hora é de aguardar os desdobramentos dos próximos capítulos deste fato.

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: