Archive for 2 de julho de 2009

Seja Gentili

julho 2, 2009

danilo

As imagens ontem (1º) no Jornal da Band – apresentado por Ricardo Boechat, Joelmir Betting e Ticiana Villas-Bôas – desmentem a assessoria do presidente José Sarney. O repórter Danilo Gentili, do programa CQC, foi violentamente agarrado e jogado ao chão na Chapelaria do Senado Federal. Os “funcionários” de imprensa de Sarney informaram que houve apenas um esbarrão.

A foto acima de Dida Sampaio (O Estado de S. Paulo), mostra o momento em que Gentili foi agarrado por trás e imobilizado. Nas imagens da Band, Gentili está se levantando do chão. E as desculpas apresentadas foram que Sarney tem o direito de não responder. E os jornalistas rebateram: “Nós temos o dever de perguntar.”

Hoje fizeram um cordão de isolamento para Sarney passar. Isso até render marchinha para o próximo carnaval. Outra coisa: em Brasília e no Rio, manifestações populares pediam a saída de Sarney. Mas, hoje (2) o cenário parece bem diferente daquele constatado ontem (1º) pela manhã. Sarney já quer ficar. O medo dos tucanos no comando do Senado pode resultar num acórdão. Só que não o “acórdão da bola preta”. Ou será?

Anúncios

A conta de Lula

julho 2, 2009

libialula

Jânio Quadros, ex-presidente da República, tinha o hábito de, ao ser contrariado, sair com a notícia de que renunciaria ao cargo. O alerta é feito pelo jornalista e ex-presidente do STJ Edson Vidigal que teve convívio com Quadros. A história se repete em pleno século 21, desta vez com o ex-presidente José Sarney. Sarney fez escola. Ou melhor, faz escola. Sob pressão, ameaça renunciar e coloca o atual presidente Lula numa sinuca de bico.

É a conta. E quem vai pagar? O povo brasileiro. Há uma corrente que defende a permanência de Sarney no poder como forma de todos os podres aparecerem. Cláudio Abramo lidera o movimento “Fica Sarney”. Lula, que esteve com o ditador Muammar Al-Khaddafi, na Líbia, voltou as baterias contra o senador Marconi Perilo (PSDB-GO). Sempre vale lembrar que Jânio Quadros, numa outra ocasião, usou o mesmo artifício da renúncia e o seu desejo foi aceito. A história cuidará de sua biografia.