No forno

pizza

Lula é um bom cozinheiro. Sabe preparar uma pizza melhor do que ninguém. Por isso a declaração de que a CPI da Petrobras vai acabar de forma tão igual às outras CPIs que tomaram conta da política nacional das últimas décadas. Lula chamou os senadores dos partidos de oposição de “bons pizzaiolos”. E o tal conselho de ética para apurar os “deslizes” conta com senadores da tropa de choque do PMDB de Renan Calheiros e José Sarney.  É o mesmo que colocar a raposa para tomar conta do galinheiro. Então, senador Paulo Duque já inicia com afirmações de que não pode haver cassação por algo “pequeno”.


Enquanto isso, os jornais de São Paulo (leia-se Folha e Estadão) destacam o indiciamento do Fernando Macieira Sarney, filho de Sarney, pela Polícia Federal. A Folha mancheta o indiciamento e no Estadão, um avanço do repórter Rodrigo Rangel: “Filho de Sarney é alvo de 5 inquéritos da PF”. No Rio, O Globo escondeu o assunto. Mas, sou favorável à campanha lançada por José Simão, na Folha: Fica Sarney. Simão avalia que se Sarney sair não haverá mais tema para suas colunas. Então, tá combinado assim: Fica Sarney.

E voltando ao tema Lula, as seções de cartas nos jornais estão tomadas por críticas contundentes às referências ao senador Fernando Collor e Renan Calheiros em cerimônia ocorrida esta semana em Palmeira dos Índios, Alagoas. Realmente, caros leitores, inimigos no passado, amigos hoje. O sapo barbudo engole muitas coisas, inclusive sapos.

No futebol, as derrotas na Taça Libertadores e no Campeonato Brasileiro foram de lascar. O Cruzeiro teve um apagão em pleno Mineirão. Na despedida de Ramires, que foi para o Benfica (Portugal), o time mineiro perdeu a taça para o Estudientes (Argentina) por 2 a 1 com atuação de Verón. Outro vexame: Internacional 4 a 2 Fluminense, no Estádio Beira-Rio. Aliás, o meu time só dá desgosto.

Achei ótima a crítica de Zagallo à demissão de Carlos Alberto Parreira. O velho Lobo classificou a decisão de “safadeza”. Sempre tive a seguinte opinião: a demissão de treinador não resolve problemas sobre desempenho de times. Se os jogadores não vestirem as respectivas camisas, nada irá funcionar. E o Fred – expulso mais uma vez – defende-se das acusações de corpo mole.

A solução é a seguinte: acabe o contrato de patrocínio com a Unimed e busque nova parceria. Essa coisa de ter parte do elenco recebendo pelo clube e outra parte pelo patrocinador traz sérios problemas. Falta também o empenho de alguns jogadores que, em minha opinião, deveriam ter os respectivos contratos rescindidos.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Uma resposta to “No forno”

  1. juniamagalhaes de almeida Says:

    Se um infeliz furta um boné de grifé no valor de 90 reais vai pegar cadeia porque não configura roubo por “estado de necessidade”. O que será que Senador Paulo Duque quer dizer com coisa “pequena” 500 mil reais? É gente cadeia é mesmo pra pobre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: