Posts Tagged ‘eleitores fantasmas’

Eleições 2008: TSE cancela mais de 1,8 milhão de títulos

junho 14, 2008

Num ano de eleições municipais, a Justiça Eleitoral anunciou o cancelamento de 1.866.020 títulos de eleitores. Os Estados da Bahia e Minas Gerais lideram o ranking com os maiores números de documentos cancelados. Informações divulgadas no sítio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dão conta que 1.287.562 títulos foram anulados por revisão determinada pelo TSE e outros 578.458 foram excluídos por determinação dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). (more…)

Anúncios

A CPI dos ossos, ou melhor, dos cemitérios…

junho 13, 2008

No Estado do Maranhão, há muito tempo atrás, se fez uma peneira na Justiça Eleitoral para verificar os chamados “eleitores fantasmas”. E descobriu-se muitos fantasmas por aquelas bandas. Tanto é que numa das cidades os muros do cemitério foram pichados com supostos mortos pedindo que os deixassem em paz.

A Brasília do século 21 ganhou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investir a máfia das funerárias. Alguns meios de comunicação a chamam de a CPI dos Ossos, outros de CPI dos Caixões. Os holofotes desta tarde se voltaram, então, para o Cemitério do Gama, onde funcionário lotado no gabinete do deputado distrital Rogério Ulysses (PSB), presidente da tal CPI, invadiu o campo dos mortos a bordo de um trator com o objetivo de encontrar ossadas e restos de urnas mortuárias.

E o que ele encontrou no cemitério: restos de caixões e ossadas. Claro. Num cemitério existem caixões e ossadas. A PM baixou por lá. Quis saber se a “autoridade” tinha autorização para remexer os restos mortais. Rogério “holofotes” Ulysses foi para o local que se encontra interditado.

Essa CPI surgiu na esteira de denúncias de irregularidades nos cemitérios da capital federal. O assunto é propício para o encerramento de mais uma sexta-feira 13. Bem macabro. Mas outros preferiram dedicar o dia para homenagear Santo Antônio, o santo casamenteiro, um dos mais populares da Igreja Católica. Os mortos pedem um pouco mais de respeito.