Posts Tagged ‘Estado do Maranhão’

Ibope versus Gabeira

outubro 1, 2008

Às vésperas do 1º turno das eleições no município do Rio acontece uma queda de braços entre o candidato à Prefeito Fernando Gabeira (PV) e o Ibope. A origem deste embate está na divergência entre o que apurou o instituto de Carlos Augusto Montenegro e o Datafolha. Para o Ibope, Gabeira aparece em terceiro lugar, bem distante de Marcelo Crivella (PRB), segundo colocado.

(more…)

Anúncios

Retorno às raízes

julho 23, 2008

Santo Antônio de Pádua fica no interior do Estado do Rio. Situa-se na divisa com Minas Gerais. Então, a cidade onde comecei a carreira foi o meu destino neste período de descanso. Serão duas semanas que vão me permitir o retorno às raízes. A viagem entre o Rio e Pádua foi bastante cansativa. A bordo de um ônibus da Auto Viação 1001 – empresa monopolista do transporte rodoviário nesta região – desembarquei na rodoviária após mais de cinco horas de estrada, sendo um trecho bastante esburacado.

(more…)

A CPI dos ossos, ou melhor, dos cemitérios…

junho 13, 2008

No Estado do Maranhão, há muito tempo atrás, se fez uma peneira na Justiça Eleitoral para verificar os chamados “eleitores fantasmas”. E descobriu-se muitos fantasmas por aquelas bandas. Tanto é que numa das cidades os muros do cemitério foram pichados com supostos mortos pedindo que os deixassem em paz.

A Brasília do século 21 ganhou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investir a máfia das funerárias. Alguns meios de comunicação a chamam de a CPI dos Ossos, outros de CPI dos Caixões. Os holofotes desta tarde se voltaram, então, para o Cemitério do Gama, onde funcionário lotado no gabinete do deputado distrital Rogério Ulysses (PSB), presidente da tal CPI, invadiu o campo dos mortos a bordo de um trator com o objetivo de encontrar ossadas e restos de urnas mortuárias.

E o que ele encontrou no cemitério: restos de caixões e ossadas. Claro. Num cemitério existem caixões e ossadas. A PM baixou por lá. Quis saber se a “autoridade” tinha autorização para remexer os restos mortais. Rogério “holofotes” Ulysses foi para o local que se encontra interditado.

Essa CPI surgiu na esteira de denúncias de irregularidades nos cemitérios da capital federal. O assunto é propício para o encerramento de mais uma sexta-feira 13. Bem macabro. Mas outros preferiram dedicar o dia para homenagear Santo Antônio, o santo casamenteiro, um dos mais populares da Igreja Católica. Os mortos pedem um pouco mais de respeito.